Ao redor do mundo, protestos no 1º de maio. E no Brasil?

O Dia Internacional do Trabalhador é consequência da luta por melhores condições de trabalho em todo o mundo. Infelizmente, no Brasil há pouco espaço para a cultura de valorização do trabalhador, o que faz a importância dessa data passar desapercebida.

No final do século XIX, as manifestações, fortemente influenciada por anarquistas, se espalhavam por todo o mundo. Na época, as leis trabalhistas que hoje conhecemos não existiam a não ser nas reivindicações dos trabalhadores da época. As jornadas de trabalho eram de até 18 horas, os trabalhadores não tinham folgas nem mesmo indenizações por mutilações resultantes das péssimas condições de trabalho, entre inúmeros outros abusos aos quais os patrões submetiam seu empregados.

Foi em Chicago, no dia primeiro de maio de 1886, que sete pessoas foram mortas por policiais em um protesto. Três dias depois, em um ato exigindo providências contra responsáveis pelas sete mortes, após a tentativa da polícia de dispersar a multidão, uma bomba explodiu no meio da polícia, matando sete oficiais e ferindo dezenas. A polícia abriu fogo contra a população, matando centenas. O Estado abriu um processo, prendeu os supostos envolvidos nas mortes dos policiais e, em um julgamento manipulado, foram todos condenados.

O Primeiro de Maio passou a ser marcado por manifestações a favor da libertação dos anarquistas que haviam sido presos naquela situação e pela redução da jornada de trabalho para 8 horas. Para saber o desfecho dessa história e mais detalhes sobre ela, clique aqui. Desde então tornou-se um dia de mobilização. Aqui no Brasil, ele é comemorado desde 1894 e tornou-se feriado em 1925.

Ao redor da Terra, o Dia do Trabalho costuma ser marcado por protestos. Na Inglaterra e em outros países europeus, por exemplo, as pessoas costumam se preparar para esse dia, ou se mobilizando para irem às ruas reivindicar direitos ao povo e aos trabalhadores, ou simplesmente protegendo suas casas – reforçando suas janelas, portas e protegendo suas casas.

No Brasil, acontecem comemorações. Festas, shows, eventos para lembrar que a população deve ficar feliz com o que tem, como se fosse o bastante. Mas não é. Basta perceber que o trabalhador brasileiro só não é mais estressado que o japonês, é mau remunerado e tem seus direitos arrancados e ameaçados a cada dia que passa.

Há uma série de motivos para comemorarmos o Primeiro de Maio, isso é inegável. Mas não podemos esquecer que muitos lutaram e morreram (dentre eles, anarquistas, trotskistas, leninistas, maoístas e muitos outros “istas”) para que pudéssemos ter hoje o mínimo de condições dignas de trabalho.

Um viva a todos que lutaram, lutam e lutarão nessa data de dor e glória.

Hoje o Autônomos FC completa seu quarto ano de existência. Deixo aqui meus parabéns a esse time de várzea, ao qual sou muito grato por ter me acolhido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s